quinta-feira, novembro 14, 2013

Parabéns mãe


Hoje minha mãe completa exatamente o dobro da minha idade. Há muito tempo tenho esperado desfecho final de um épico duelo de mim comigo mesmo. O fim do meu terceiro ciclo de vida contado de doze em doze anos. Místicos rituais xamãnicos ao sabor do vento implacável da ancestralidade. Uma águia que se esconde no céu quando eu a vejo. Além do céu, além do bem, além da dimensionalidade, além do ventre, dentro, entre.  No horizonte das possibilidades, das vias transitáveis, das relações duráveis. No coração do lobo.
Hoje peço apenas que todas as mães sejam felizes.


Um comentário:

Gustavo Alvarez disse...

o mundo foi feito assim, nesse frenesi febril. Uterinamente,

gustavos