quarta-feira, maio 28, 2008

chocadeira elétrica


não tenho o que escrever. tudo que escrever vai parecer passional e piegas, vai parecer um clichê, um jargão amoroso dito e pronunciado de varias formas “N” mil vezes por 1.000¹³ (elevado a décima terceira potência) números de pessoas infinitamente. o que eu poderia tratar é o número de pessoas que necessitam (em todos os tempos verbais passado presente futuro) da chocadeira elétrica. trata-se do segundo nascimento ou renascimento quando o ser humano se leva para não ser rebaixado (uma máxima Nietzscheniana), usando palavras talvez vulgares talvez incertas mas q transmitem a idéia, ainda não d forma completa. trata-se de aprender nos bancos escolares e nos divãs que a vida não é batatinha. mas poucos pais se dispõem a dar esse apoio. necessário na hora devia, seria lá pelos treze, quatorze, quinze anos, em que o indivíduo precisa nidificar o corpo ao espírito. uma das fases complicadas da vida. conflito entre o corpo e a alma. mas não pensem que são somente os adolescentes que precisam dessa união de si consigo próprio, outros “jovens” também. incluindo a mim mesmo, q tive de voltar para o útero materno para ser expelido de volta ao mundo. com todo amor. seria certo perguntar se a determinação, a partir desse ponto, é válida? toda força de se encontrar. é válido que esse reencontro aconteça! Portadores do risco de que isso não lhes vá acontecer por enquanto existem. cerotonina faz bem à saúde e não causa danos. O encaixe o desencaixe o re-encaixe, questões antropológicas que não falemos disso agora. por exemplo, se um filósofo não produz e publica sua obra ou leciona no meio acadêmico ele está desencaixado, mesmo sendo suas palavras de refinado estilo literário e vasta complexidade de raciocínio. os filósofos são encantadores por sua über capacidade de abstração. acima além. se ele não só vive de abstração, e “corre atrás” assim como nós, que vivemos o mundo real*, tangível, físico, material ele busca se encaixar socialmente. Um filósofo pode ser usado em vários setores? além do que transmite ou publica é muito reduzida a chance. mas se há o encaixe social desse em questão, somos afinal todos formiguinhas. Formiguinha do pensamento, nesse caso. da transmissão e recepção da história do pensamento, ou um novo conceito uma nova tese. rizoma. somos perfilações acima - abaixo se invertem seguem a linha do tempo, mas o tempo não é importante. saiámos dessa chocadeira artificial para engordar o gengibre!
>¨<

3 comentários:

caiocito disse...

"Um minuto muda tudo e todos os milhões de anos não mudam nada" - Porchia (1885-1968)

Depois daquele conversa sobre os poetas marginais do Rio de janeiro. Tipo, "Oi querida, oi, falsa." Os planos que não deram certo, etc.

....x...

OI QUERIDA, OI, CÍNICA

Esfria enquanto eu canto ou choro de tanto
No entanto, encaro a folha em branco
Não pergunte ao pó
De onde vim faz frio, está tenso e faz-se em solidão

tento regar as sementes do mundo
Emboco-me, diligência nula
Assento-me e espero
O melhor jeito de caminhar sem rumo

ps:
Absoluta como a aurora
enquanto a noite não vai...
Oi, cínico, oi, poeta.

Papagaio Mudo disse...

OI Caiocito,

adorei o poema. quê mais eu posso dizer? apareça dublê.
abraços,

Gustavo

ps: você não passa de um
"crápula". (remonta às falas de desenho animado da minha infância...)

Papagaio Mudo disse...

o pos-script tem que fazer parte do poema.

>¨<