domingo, maio 04, 2008

metade de trinta


half tirthy
Nasci numa cidade do interior, mas saí de lá com um ano de vida. Com quinze anos fugi de casa em direção a Campinas à procura de um primeiro amor. Lá vivi dias de glória como debutante, estudioso da fotografia em P&B, controle tonal, namorava uma modelo e andava com o pessoal do teatro. Assim conheci a cidade como primeiro andarilho. Vivi quase todas as possibilidades, namorei no zoológico, assisti filmes espetáculos misencene livraria café e poesia tomei vinho no Centro Cultural Vitória que não existe mais. Que saudades de assistir a copa de 94 em que o Brasil foi tetra campeão e lembrar daquele gol perdido do Baggio. Fui forasteiro nas pequenas ilhas da cidade grande grandicidade. Fotografei pó e poesia Highsociety poverty Maracujá observatório astrológico em Paulínia do amigo que conhecemos na Grande Ilha (essa faz jus ao nome). Fiquei vislumbrado com as fotos do sol. À noite fomos observar Júpiter e os anéis de Saturno. Nós, gente fina, enganamos nossos adversários. Leva a solidão, vem suavizar, quem ama não tem paz.
>¨<

11 comentários:

Papagaio Mudo disse...

O Caio achou o novo layout do papagaiomudotraumatizado meio alegrinho demais, meio gay mesmo. Você queria o que Caio? que eu pusesse fotos de flores mortas?
Vou mandar um boi pra você.
boi,

>¨<

Menina do mar disse...

:-)
Passei só pra deixar um beijo

Guilherme Coelho disse...

Gustavo,

Quanto a meu relacionamento, meu romantismo é todo mérito de quem está ao meu lado. Mas se se refere a um romantismo como modo de ver as coisas, aí eu concordo com você. Prefiro ver a vida com um romantismo quase cinematográfico mesmo que no fundo eu não acredite nem nas minhas próprias palavras. E, agora que você se assumiu um romântico como eu, suas palavras também ganharão (novos sentidos. Afinal, somos o que pensamos ser ou pensamos ser o que não somos?

Abraços

Papagaio Mudo disse...

Guilherme,

Viellbekommen wieder!
Bem vindo novamente!
Vou falar assim com esse sotaque rudimentar do norte da Suíça pra parecer menos romântico, mas é que ontem eu vi um gaúco chôrrãnndo porque perrdeu túdo na ênxcharrada.
Bah!
Mas tu novamente me pegaste, che!
"somos o que pensamos ser ou pensamos ser o que não somos?"
Isso vai depender da constituição do problema e a criação do conceito de "ser" de cada um. Ou tu tá dizendo de com evitar o tombo?
Abraço,

Gustavo
não some. parabéns! pelo namoro.

Hellen Rêgo disse...

Essa viagens e fugas da vida são sempre intrigantes. e saudosas tbm.
vejo que há meninos romanticus por aqui.
que fofo, hehe
:)
Abraços mocinho!

Papagaio Mudo disse...

é! nós somos românticos Hellen.
o romantismo como forma de percepto.
plazer vê-la por aqui.
bjs,

>¨<

Hellen Rêgo disse...

:)

caiocito disse...

Hola, pibe!

Estou investigando o significado semiótico dessa foto. Aquela pessoa atras do carro me implica e eu implico com ela.
abrazoz.

Papagaio Mudo disse...

Caicito!

donde estavas, guey? trajiste cepillos de dientes?
bien venido a la casa! hoy he hablado con la señorita Hellen.
me gustó hablar con ela. muy directa.
Que te parecem los nuevos posts y palavras? hechó de menos de ti, cabron
suerte,

>¨<
en el analisis semiótica.

creo que eso se cambia en un blog de semiótica.
e adendos, divinos amores corompidos.

liberté disse...

buscar, viajar, amar, fotografar... verbos da primeira conjugação. São os primeiros que aprendemos - e serão sempre os mais importantes de nossas vidas.

Sua vida tem história, trajetória e ainda faltam 20 anos para cair no dito popular dos 50.

PS: antes q esqueça - na segunda conjugaçao - adorei na primeira - o novo layout.

beijim
colombina Atleticana

Papagaio Mudo disse...

quem não conjuga não se machuca machuca a língua.
Beijos!
colombina Atleticana... rs

>¨<