quarta-feira, maio 14, 2008

O Boto

Não há dor, não há porto não há porta na ponta dos ossos que doa não há tumulto não há mistério pra desvendar. sabemos ao certo o que significa você vai você vai... vai e não fica. você sabe o que significa ao qüinquagésimo passo em falso o pulo do gato. a peça principal enxerga com os primeiros olhos relegado ao segundo plano, concretude e verdadeção em primeiro. o justo se torna inútil e supérfluo como um império romano. anestesia-te anestesiante. um olhar de lado não me encara de frente. quando eu sou eu mesmo. quando a teoria dos papéis. quando vestir a capa de cidadão Kane. essa persona me levará até lá. há luz no fim do túnel. estou no começo dos trilhos mas há um duplo, o trem pode estar vindo e não há como retroceder. Pense positivo, o trem não vira ao meu encontro. encontrar um lindo vale no fim dessa jornada. o vento de orvalho respira sobre mim. vida, não pára se não há como parar. cavalo de madeira corre louco desenfreado nascido em 78. longa é a trilha pela frente, mas no alto há uma nascente... não desanime quando alguém quebrar seus sonhos. existem cabeças estreitas demais naquele momento. se falta tinta nessa pena, volta e escreve com sangue a tua sina, volta e escreve com sangue a tua vida. verte as lagrimas necessárias e segue adiante. Resiliência resistência em suportar altas pressões. sobrevoando suaves palavras nas termais do vento. mesmo que trocem dessa joça. troça calva monetária instituto do amigo ao próximo. o que era vespertino passou a ser matutino e se capitulou. não há frio na ponta dos dedos não há dor. boneco de pano no armário do ostracismo. rompendo de forma incerta uma estrutura mal concebida. a vítima somos algoz de nós mesmos. não me fale de desejo não me fale de libido. amplo de profundos suspiros aliviastes alivia dores. o tempo adiante. o meio ambiente. como nunca outrora nunca dantes dantescos mares navegados. por seus ideais, waste of time, de pai postiço. saudades de cuidar de ti, pequeno Iákov. saudades. de segurar sua mão enquanto se aconchegava em meus braços.
>¨<

7 comentários:

Menina do mar disse...

Fiquei sem fôlego...
Meu Deus, Parabéns do fundo do coração!
está LINDO!

Anônimo disse...

belo texto! muito mesmo

A legenda da figura de gradiva está escrita errada (gradida).

Papagaio Mudo disse...

obrigado pela correção.
esse anônimo- poderia me dar uma pista?

Gustavo

Papagaio Mudo disse...

Oi, menina do mar,

Como vão as coisas por aí? aqui em B.H. está fazendo friozinho...
beijos,

>¨<

Menina do mar disse...

O verão está a chegar, as noites estão maravilhosas.
beijos

Cris Moreno disse...

Que imagem e texto. Dói-me por todos os lado. Tão introspectivo. Até o olhar do animal está direcionado para vc. Incrível, Gus. Parabéns. Muito legal.

Beijos.

<">

Papagaio Mudo disse...

obrigado Cris.

Beijos,

>¨<